Os Gatos são “Ensináveis”? A resposta curta é sim e não!

Publicado em 20/04/2021 por Pedro Serra

Os gatos são animais mais independentes que os cães, apesar de adorarem igualmente receber mimos das suas pessoas. Quando em grupo, não se organizam com mentalidade de matilha como os cães, mas sim cada um por si, com maior proximidade aos (poucos) gatos com quem criaram afinidade e maior afastamento a outros com os quais competem mais. Claro que quando está frio, toleram melhor os seus “inimigos” – porque estes são quentinhos! São espertos e orientados para maximizar as chances de sobrevivência. Mas será que aprendem “truques”?

Cão vs. Gato

Quer seja na natureza ou em ambiente doméstico, os cães têm o instinto de agradar a quem tem uma posição de liderança no seu ambiente, ou seja, quem encontra e fornece comida, evita riscos desnecessários (especialmente na natureza) e impõe regras. Os gatos não. Fazem a sua vidinha independente e não se incomodam muito em geral com os outros do grupo (em casa ou na rua). No entanto, não sendo nada parvos, aprendem rapidamente aqueles comportamentos lhes trazem aquilo que gostam, nomeadamente comida ou mimos. 

A posição “Barriga para cima” 

Quando nos recostamos no sofá, com a nossa barriga exposta (zona vulnerável onde temos os órgãos vitais), na visão de um gato não estamos em posição de defesa mas sim de relaxamento. Os gatos retiveram a aprendizagem de que quando a mãe gata o fazia, era tempo de mamar, ou seja, uma coisa positiva. Não estão a ver-nos como a sua mãe, claro, mas sim têm a sensação de que essa posição é favorável para eles, e se estiverem com vontade de mimos (com ênfase no facto de eles terem essa vontade), saltam para cima de nós e exigem festas. Sim, exigem. É o que querem e é o que esperam obter. Cria-se um momento de laço emocional e recebem e dão mimos, “lavando-nos”, se forem do temperamento mais “dengoso”.

O olhar

Tal como nos cães, a linguagem corporal é uma forma de comunicação, e um olhar muito atento e fixo significa um estado de alerta (que pode ser para brincar, não tem necessariamente de significar um ataque). Por oposição, um olhar relaxado, com os olhos menos arregalados, simboliza conforto e à-vontade. Tente olhar para o seu gato nos olhos e piscar muito lentamente os seus olhos. Vai reparar que pouco tempo depois as pálpebras dele vão fechar-se mais, ele pode até fazer o mesmo piscando lentamente, e criou-se aí um momento de confiança.

Conhecer o próprio nome

Sim, eles habituam-se a ser chamados. Não percebem nada das linguagens humanas nem sabem de semântica, mas habituam-se que aquele som familiar representa coisas boas. Se aproveitar os momentos de mimo para repetir o nome do seu gato enquanto lhe dá festas, ele vai habituar-se ao som, e assim, quando ele ouvir este som proferido pela sua pessoa, virá (desde que não esteja a fazer algo de mais agradável, como a comer ou numa sesta mesmo boa). Não vale a pena forçar situações, o resultado vai ser o contrário do que se quer atingir. Use um momento de mimo já existente para ir reforçando o nome junto com a sensação agradável de receber festas.

Sentar

Tal como no exemplo do nome, ensinar a sentar é possível usando o reforço positivo de novo. Neste caso, usando um motivador mais potente: aquela comida que o seu gato simplesmente a-do-ra! Se ele fica louco com fiambre, galinha (cozida sem sal), ou biscoito especial de gato, por exemplo, então isso é o ideal para o ensinar. Mas tem de ser algo que não é habitual comer todos os dias. E atenção ao possível ganho de peso!

Segure o pedaço de comida ligeiramente acima da cabeça do seu gato, com um movimento lento da frente para o topo da cabeça. À medida que os seus olhos seguem o prémio tão desejado, a tendência dele é sentar. Tenha paciência, porque é raro correr bem à primeira. Ou à décima, dependendo do nível de energia do seu gato. Assim que ele sentar, dê imediatamente o prémio ao mesmo tempo que diz a palavra que decidiu que vai ser o comado para sentar. Não use palavra longa e complicada. Depois repita várias vezes até ele se desinteressar, o que vai acontecer mais rápido do que com os cães. Nunca insista nem persiga o seu gato. Vai estragar o trabalho já feito. Umas horas depois, faça de novo. Vá repetindo. Vai ver que ele vai aprender rápido.

High-Five

Da mesma forma que fez com o Sentar, pode facilmente ensinar o High-Five, ou seja, bater com a pata elevada na sua mão. Para isso use a tal comida maravilhosa e segure acima do nariz do seu gato. Espere que ele use a pata para tentar agarrar e nesse instante dê a comida junto com a palavra que escolheu para este truque, diferente da outra usada para sentar. Sempre palavras curtas, com poucas silabas. Repita até ele se cansar, o que deve ser uns 5 minutos, e vá fazendo repetições ao longo dos dias, sem insistir nem perseguir. Use um momento em que ele está de feição a interagir. Não use demasiada energia, não fique aos saltos de alegria quando ele cumprir, senão o efeito será assustá-lo e perde-se o trabalho feito.

Ficam aqui dicas interessantes! Esperamos por todos vocês numa próxima!

Abraços de toda equipa Pet Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Compartilhe esta matéria!




  • Lives em breve.

  • Assine a Newsletter

  • Translate »