O que o cocó do seu cachorro tem a dizer?

Publicado em 29/04/2022 por Shirley Motta

Sim, eles são fofoqueiros e nos contam muito sobre a nutrição e saúde do seu animalzinho. Ficou curioso? O formato, a coloração, presença de muco ou sangue nos diz muito. Vamos entender um pouco mais sobre eles?!

Formato

Salsicha lisa – é quase o coco perfeito! É aquele que chega a formar um montinho quando o animal defeca. Nesse caso o teor e tipo de fibras da dieta estão ok e também que hidratação está excelente. Mas, cuidado: às vezes o animalzinho faz aquele coco bem formatinho, porém quando o tutor vai recolher está mole e faz aquela bagunça. Nesse caso, pode ser falta ou até um excesso de fibras como também excesso de gordura. Consulte um nutricionista pois ele poderá fazer os ajustes necessários na dieta do seu peludo

Salsicha com fendas – um pouco ressecado que o formato anterior, porém não chega ser motivo de preocupação. Pode sinalizar que o animalzinho está bebendo pouca água e nesse caso vale a pena estimular a ingestão de água.

Salsicha segmentada – nesse tipo o animal faz mais força para defecar e o indicado também é procurar um profissional para ajustar a dieta do seu animalzinho.

Bolinhas – pode indicar um quadro de constipação, pouca fibra na dieta e/ou baixa ingestão de água. O nutricionista pode fazer o uso de fibras solúveis como o Psyllium e a chia ou a ainda adição de fibras insolúveis como a abóbora, porém irá depender do que seu animalzinho já está se alimentando. O equilíbrio da quantidade e o tipo de fibras é importantíssimo: muita fibra o coco pode sair mais mole o que acaba por não pressionar a glândula anal e, consequentemente, provocar um acumulo de secreção, sendo muitas vezes necessário uma ida ao veterinário para esvaziá-las. Mas também, pouca fibra também pode causar o mesmo problema.

Diarreias: esse tipo de coco merece sempre nossa atenção pois, pode indicar infeção e algumas doenças, principalmente se vierem acompanhando de vômitos. Nesse caso, leve o animalzinho imediatamente ao veterinário. Lembrando que mudanças bruscas da dieta também podem causar distúrbios intestinais e provocar diarreias.

Cor

A coloração irá variar muito se seu animalzinho se alimenta com dieta natural, por isso o que irei dizer aqui é mais para tranquilizá-los. O “ideal” seria mais amarronzado, mas como em disse, animais em dieta natural pode apresentar cocos “coloridos” e está tudo bem.

Verde: pode indicar que seu animalzinho comeu muitos vegetais, mas também pode indicar problemas mais sérios como pancreatite.

Amarelo: muito comum em animais que se alimentam de rações de baixa qualidade, ricas em grãos e cereais, nesse caso também são volumosos.  Porém, pode ocorrer também em dietas com altos teores de gordura e se não for uma estratégia nutricional acompanhada por um profissional também pode causar pancreatite.

Escuras: se seu animalzinho não comeu beterraba ou excesso de vísceras pode ser indicativo de problemas hepáticos. Observe, se não for algo pontual e sim recorrente leve o animal ao veterinário.

Brancas: esse tipo de fezes é muito comum em animais que se alimentam de dietas cruas com ossos e, pode indicar excesso de cálcio ou excesso de ossos. Procure o nutricionista para fazer os ajustes necessários. Aqui cabe uma ressalva: a presença de bolinhas brancas pode ser indicativo de vermes, nesse caso procure um veterinário e faça o exame coproparasitológico.

Atenção: não é normal se as fezes do seu animal estão muito (mas muito) malcheirosas. Esse odor muito forte pode indicar desequilíbrio da microbiota e vale a pena investigar. Principalmente, se a barriguinha deles fizer aqueles barulhos constantes, que chamamos de borborigmos.

Já a presença de sangue, pode indicar presenta do parasito giárdia, doenças como gastroenterite ou até coisas mais simples como alguma perfuração do intestino ou até mesmo um coco mais ressecado que possa ter arrebentado um capilar devido a força feita ao defecar.

A presença de muco também é um motivo de alerta por parte dos tutores pois pode indicar quadros de hipersensibilidade intolerância alimentar.

Por fim, fezes muito volumosas indicam alimentos de baixa digestibilidade ou aproveitamento ou até teores mais elevados de carboidratos. Já a frequência, varia muito do tipo de dieta e dos estímulos. Por exemplo, se o animal só defeca durante o passeio esse pode ser um estímulo, mas se normalmente seu animalzinho defeca muitas vezes ao longo do dia vale a pena uma ida ao nutricionista para verificar se está tudo ok com a dieta dele.

Espero que tenham gostado e já a preparar mais curiosidades para vocês!

Um beijinho e até à próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Compartilhe esta matéria!




  • Lives em breve.

  • Assine a Newsletter

  • Translate »